23 de maio de 2014 Tópicos: Debates Públicos

Sem Participação Social não há democracia

Do Participa.br

“Celebrar o dialogo e a participação social é celebrar o Brasil”. Com essa frase, a presidenta Dilma Rousseff deu início à fala sobre a assinatura do decreto que institui o Plano Nacional da Participação Social (PNPS) e o Compromisso Nacional pela Participação Social (CNPS).

“Com o decreto da Politica de Participação Social vamos elevar a um novo patamar a participação na implementação de políticas públicas. Estamos deixando claro nossos objetivos para todo o governo federal no que se refere a participação social”, disse a presidenta.

A assinatura do decreto aconteceu durante a Arena da Participação Social, nesta quinta-feira, 23, em Brasília. O evento, contou com cerca de dois mil participantes e foi transmitido ao vivo pelo #ParticipaBR.

De acordo com Dilma, a participação social é uma conquista de toda sociedade e por isso precisa ser “renovada cotidianamente”. Durante a cerimonia, a chefa do Executivo também anunciou o #ParticipaBR como mais um espaço fundamental para assegurar a participação social: “Por meio desse portal, agora os brasileiros vão ter mais um canal aberto de diálogo direto com o governo federal. Portal, que inclusive foi construído em software livre e com tecnologia nacional”.

Ainda de acordo com a presidenda, a internet já se consolidou como um importante espaço de ação. Ela citou, por exemplo, a mobilização social que antecedeu a aprovação do Marco Civil e afirmou que regulamentação da legislação será realizada com ampla participação social via internet.

Veja o momento exato através do vídeo da TVNBR

“A neutralidade é a garantia do direito de comunicação, inclusive para aqueles que discordam. É assim que se mede uma democracia, quando os que discordam tem liberdade de falar. É isso que explica o Marco Civil é um espaço livre e neutro”.

Política Nacional da Participação Social – O decreto consolida os avanços dos últimos 10 anos e será a referência que orientará os órgãos e entidades da administração pública federal para melhor utilização dos diversos processos, instâncias e mecanismos de participação social existentes, permitindo um maior grau de aderência social ao ciclo de gestão de políticas públicas e aumento da transparência administrativa e da eficácia da gestão pública.

Compromisso Nacional pela Participação Social – O Compromisso é um acordo entre os governos federal, estadual e municipal que define diretrizes para a promoção da participação social como método de governo, com o objetivo de fortalecer os mecanismos e instâncias de diálogo entre Estado e Sociedade Civil, com vistas à consolidação da democracia participativa no País. A adesão de Prefeitos e Governadores será voluntária. Trata-se de documento discutido e aprovado pelos Secretários Estaduais e pelas Entidades Municipalistas.

Vídeo sugerido

Conheça o projeto Pensando o Direito

O Projeto Pensando o Direito é uma iniciativa da Secretaria de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça e Cidadania, e foi criado em 2007 para promover a democratização do processo de elaboração legislativa no Brasil. Pesquisas A partir do lançamento de editais para a contratação de equipes de pesquisa, o Projeto mobiliza setores importantes da […]

Pensando o Direito no youtube

8 comentários em “Conheça o projeto Pensando o Direito”

  1. Joseane Rocha disse:
    Quando haverá outra edição do evento?
    Os temas abordados na edição anterior foram muito estimulantes para o investimento em tecnologia da informação e comunicação.
    Joseane Rocha,
    http://www.educamundo.com.br
  2. duda disse:
    Adorei gostaria muito de participar
    De projeto
  3. Thelma Regina da Costa Nunes disse:
    Adorei,gostaria muito de participar desse participar desse projeto.
  4. Maria Sueli Rodrigues de Sousa disse:
    A página do ipea não abre desde ontem que tento. Vcs sabem informar o que está ocorrendo?
    1. Pensando o Direito disse:
      Olá, a página está com um problema técnico. Iremos prorrogar as inscrições.
  5. Antônio Menezes Júnior disse:
    Pesquisa super relevante, muito bem estruturada e indica conclusões interessantes, algumas já conhecidas no cotidiano de muitos que trabalham no ramo, e a algumas questões ainda pouco decifradas. Tive o privilégio de conhecer ao vivo, um conjunto de exposições dos próprios autores, meses atrás. Um extraordinário trabalho e produção de conhecimento. Atrevo-me apenas a sugerir que a pergunta inicial seja diferente da atual, para o futuro, e para reflexão. A pergunta inicial enseja uma relação direta entre alcances de um processo de regularização e os instrumentos jurídico-urbanísticos disponíveis, mas e as pessoas, e o conhecimento em torno deles ??? É sabido que os instrumentos em si não são autônomos, precisam ser conhecidos, discutidos, e sua implementação precisa ser ajustada a cada realidade. Portanto, melhor que a pergunta sugira o que é preciso para os instrumentos jurídico-urbanísticos tenham efetividade na realidade dos municípios.
  6. Roberto disse:
    Esse tipo de evento é realmente muito importante. alem de ser contra a corrupção, promove o desenvolvimento de idéias inovadoras.
    Aguardando pelo próximo evento

    Roberto
    http://metodologiaagil.com

  7. Humberto disse:
    Ótima atitude!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *