Outras medidas vêm sendo sistematizadas em diversos fóruns, citando-se dentre eles o trabalho contínuo e articulado de cerca de 60 órgãos públicos e entidades componentes da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (ENCCLA), que aborda temas como prevenção, transparência e governança; eficiência e eficácia; inovação institucional; repressão e controle.

Como mais uma das medidas de enfrentamento da corrupção e da impunidade, advinda da constatação de que o único meio eficiente para atingir a finalidade proposta é a atuação conjunta entre os órgãos e entidades estatais, com a participação da sociedade civil, foi assinado acordo entre o Ministério da Justiça, Advocacia-Geral da União, Controladoria-Geral da União, Conselho Nacional de Justiça, Conselho Nacional do Ministério Público e Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (Acordo de Cooperação Técnica n.1/2015, de 25 de março de 2015). Por meio deste acordo, criou-se Grupo de Trabalho composto por representantes destas instituições para elaborar, propor e incentivar medidas voltadas ao aprimoramento dos instrumentos processuais e administrativos relacionados à prevenção e ao enfrentamento da corrupção.

Além deste grupo e sob o mesmo espírito de atuação conjunta, há um Fórum de Colaboradores, que conta com a participação de entidades ou pessoas do setor público ou privado, que atuam profissionalmente em atividades relacionadas à prevenção e ao enfrentamento da corrupção, para contribuírem com opiniões e propostas. Já foram realizados 5 encontros voltados à captação de propostas e sugestões.

Outro espaço importante de participação relacionado ao tema é este da consulta pública.