Pauta em discussão

Prazo encerrado

A disciplina do uso da internet no Brasil tem como fundamento o desenvolvimento da personalidade.

Discussão criada por evilane sousa em 27/04/15

Tema: Outros temas e considerações

No art. 2º da Lei traz vários fundamentos, achamos oportuno destacar um deles, justamente o constante no inciso II, então, de que forma poderíamos afirmar que o uso disciplinado da internet pode ajudar no desenvolvimento da personalidade do indivíduo? É bastante complexo tal questionamento, pois, os usuários de internet são diversos, e tomamos como base as crianças, elas são as mais vulneráveis pois estão em  um campo minado, ficando as mesmas expostas a conteúdos impróprios. Refletimos, até que ponto a utilização da internet esta contribuindo ou não para o desenvolvimento da personalidade, se contribui e de que forma, positiva ou negativa? Sabemos que o uso consciente ainda é a melhor opção.

Discussão sobre a pauta

  1. Opinião
    As crianças, como futuro da nossa nação e sendo uma fase do desenvolvimento humano, merece grande atenção, ao tratamento com elas como também aos jovens de modo geral, por serem mais suscetíveis a aceitação, comportamentos, integrando-os e praticando. De forma negativa, tem-se a violência, a agressividade, a falta de respeito até dentro do ambiente familiar, o cyberbullying que ocorre como forma de prejudicar, criação de informações falsas, fotos intimas que elas mesmas postam. Tem-se que as crianças certamente não refletem sobre seus atos, e que portanto o que estão postando, observando-se a facilidade que possuem para interagir no mundo da internet, sendo necessário um regramento, e busca de politicas públicas de conscientização, pois como diz a cara colega, “o uso consciente ainda é a melhor opção”, e são necessários subsídios para a construção da cidadania, e das novas gerações em meio ao ambiente digital.
    3 concordaram

  2. Opinião
    Atualmente a internet está contribuindo na construção da identidade/personalidade da criança de forma negativa, especialmente pela ausência de disciplina. Os pais devem se militarem mais, vigiando o acesso de seus filhos à internet, visto que estes últimos são mais vulneráveis à conteúdos prejudiciais. Atualmente já existem programas que restringem o uso tanto do computador, como da internet, limitando-se apenas à conteúdos que os pais determinem como permitido. Como dito pela Ravelly Luna, o cyberbullying, criação de informações falsas, fotos íntimas, são os que mais contribuem negativamente para as crianças, devendo serem abolidos do acesso infantil. Portanto, e concordando que “o uso consciente ainda é a melhor opção”, acredito que cabem aos pais terem o controle do acesso dos seus filhos à internet, limitando o uso diário a uma determinada quantidade de horas, os sites acessados, downloads de arquivos, entre outras informações.
    1 concordou

  3. Opinião
    Quem se prejudica mais com o uso da internet são às crianças. Por isso, acredito que a internet não contribui de forma positiva para com o desenvolvimento da personalidade daquelas, mas contribui de forma negativa, pois a maioria das crianças não tem limite de hora ou até mesmo de horário para ficar ou usar a internet, muitas delas tem acesso a conteúdos que não estão de acordo com a sua idade. Desta forma, cabe aos pais estipular o horário que seus filhos deverá ficar na internet e limitar os endereços eletrônicos usados pela criança.
    A criança merece especial proteção dos pais, por ser um ser ainda em desenvolvimento, pois estes tem o dever de protegê-la, não deixando exposta a conteúdos impróprios e inadequados, devendo observar a classificação indicativa de idade.
  4. Opinião
    Assim como dispõe o art 4º, II da LEI Nº 12.965/2014, do acesso à informação, ao conhecimento e à participação na vida cultural e na condução dos assuntos públicos, é o meio de igualdade de oportunidade para todos com acesso aos recursos básicos e é dever do Estado que tem a responsabilização primária de criação das condições favoráveis à realização do direito ao desenvolvimento, tratando-se da necessidade dos indivíduos terem o poder de auto-regulamentação e socialização virtual no novo contexto em que vivenciamos: O marco civil da internet.
    1 concordou

  5. Opinião
    Gente,
    Não é uma Lei e muito menos a regulamentação de uma Lei que vai dar conta da educação para uso da internet.
    Você pode até ter uma lei que diga que nos passeios públicos deve haver um ponto de iluminação a cada 5 metros a fim de se garantir segurança, mas são os pais que têm que ensinar as crianças a andar na rua sem ser atropelado, assaltado ou aliciado. Não dá para transferir para o Estado uma responsabilidade que é parental.
    1 concordou

  6. Opinião
    Concordo que as crianças e os adolescentes são os grupos mais vulneráveis de usuários que acessam a W.W.W. e como tais devem ter uma proteção especial. Poderiam ser aplicado a censura em relação a alguns site da internet como acontece na televisão. No entanto, na pratica por falta de uma vigilância adequada estas orientações acabam sendo descumpridas. Falo isso porque é a partir deste controle que poderemos afirmar se a utilização da internet contribuirá ou não para o desenvolvimento da personalidade.
  7. Opinião
    Os meios de comunicação são instrumentos que além de informar os seus ouvintes ou telespectadores, são também importantes formadores de opiniões. A televisão por exemplo, desempenha um papel de tamanha relevância nos últimos anos, sendo uma grande influenciadora, ou simplesmente manipuladora de valores. Nela, observamos ideologias, que na maioria das vezes de tanto ser apresentada na nossa “telinha” passamos a cultiva-las e a defende-las. Porém a televisão deixou de ser o único meio de comunicação capaz de renovar e inspirar nossa personalidade. Hoje, existe também a internet que funciona como um meio de comunicação capaz de controlar, influir e atuar de forma determinante na vida dos seus usuários, podendo ser de forma negativa ou positiva. É absurdo acreditar que a personalidade não possa ser modificada ou criada por influência desse meio, sendo que são 3 bilhões de pessoas que utilizam esse serviço no mundo. Entre esse público encontramos crianças e adolescentes que cada dia mais cedo tem acesso a maquinas computadorizadas, esse grupo em particular está em desenvolvimento, e não só físico, mas de personalidade, não houve para eles a total formação do senso critico necessário, absorvendo de forma arrasadora todos os tipos de conteúdos próprios e impróprios, capazes de intervir na sua formação e desenvolvimento intelectual. Os pais no papel de garantidor e protetor dos filhos tem o dever social e jurídico de regular e limitar o acesso a determinados conteúdos que possuem alto potencial nocivo à formação de sua personalidade, ja que não é possível impedir o acesso, pois é inviável, porque também se trata de ferramenta essencial a educação.
  8. Opinião
    Quando falamos em personalidade estamos falando de algo que envolve a forma de pensar e de agir das pessoas, que sofrem influências do meio em que vivem. As crianças, em particular, devem estar mais protegidas pela família, no sentido de evitar as influências negativas do uso da internet, assim como de qualquer outro meio de comunicação. Cabe especialmente aos pais e responsáveis o acompanhamento das atividades desenvolvidas por essas crianças, filtrando, sempre que necessário, aquilo que irão acessar na rede, considerando que isso poderá refletir em seus comportamentos. É em casa que se dá o inicio da formação educativa, sendo posteriormente ampliada pela escola. Nesse processo formativo deve ser incluído o uso consciente e saudável da internet.
  9. Opinião
    Por mais que o artigo 2º da lei do Marco Civil trate também do desenvolvimento da personalidade, no tocante, as crianças precisamos fazer uma ressalva sobre o uso da internet como disciplina que reporta esse contexto, pois estes são a parte mais vulnerável da sociedade pois ainda estão crescendo e amadurecendo, não sendo assim a internet um meio essencial que vai ampliar e trabalhar essa conjuntura trazendo para estes bons frutos, mas pode ela contribuir em partes, quando utilizada de forma consciente, juntamente com o incentivo escolar, a participação de projetos e medidas sociais, estes sempre fomentados pelo incentivo de seus gestores ou responsáveis, que incluirá e desenvolverá a personalidade das crianças.
  10. Opinião
    Considera-se personalidade uma característica individual e particular dos indivíduos resultado de sua interação com a sociedade e suas culturas culminando na forma pensar, sentir e agir da pessoa perante as diversas situações sociais. Sabemos que essa interação com o meio se faz por mecanismos diversos, sendo de peculiar importância, na temática em questão, o uso da internet, arma que se somou para aprimorar a interatividade entre o ser humano e o seu meio, logo contribuindo para definição de sua personalidade.
    Podemos considerar tal relação benéfica sim, se colocarmos em relevância a existência de uma pauta já em discussão sobre a classificação indicativa das páginas e sites como instrumento regrador e disciplinador auxiliar no controle do conteúdo acessado pelas crianças e adolescentes, público esse destacado na discussão vigente como aquele de maior risco à exposição de material nocivo à formação de sua personalidade.